Sigam-me os bons!!!!!

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Relatos de amamentação - Parte I

Genteeeem,
Estarei apresentando aqui no blog alguns relatos sobre amamentação. 

Enviei um email  para  algumas amigas-tias-primas/mães que passaram ou que estão passando por essa fase. 
E o email  foi esse: 
"Queridinhas!!!
Todas sabem que eu tenho um blog chamado MULHER QUE PARIU, certo?!!!
E estou colhendo depoimentos sobre amamentação.
Eu já contei alguns relatos sobre o que eu passei, momentos bons e alguns de grande dificuldade: a demora da vinda do leite e quando quase empedrou 2x. 
E o espaço que eu quero criar no meu blog é de compartilhamento de vivências. Tenho algumas seguidoras que estão grávidas e algumas que estão amamentando, e nessa hora, é legal ter informações, ter dicas (nunca pitacos por favor hehehe), sei lá, saber de repente que a dificuldade que está passando, não é um bicho de sete cabeças e que ja aconteceu com outras também.
E por isso conto com a ajuda de vocês, claro... as que quiserem.

Seria basicamente contar em poucas palavras a experiência que cada uma teve com a amamentação. Se conseguiu ou não, se era suficiente ou precisou acrescentar o complemento, até quando, se foi exclusivo, se teve algum problema e qual e como fez para resolver...
agradeço desde já.

beijokas!"

Os três primeiros  relatos são da Raquel minha amiga de escola que é a mãe do Daniel de 3 anos; da Fátima que é tia do maridão que é a mãe do Pedro, Daniel e André com 27, 26 e 19 anos respectivamente e a Zaira minha amiga de faculdade e movimento estudantil que é a mãe do Heitor 2 meses.


******************************************************************
Beca,
Vou adorar ajudar,segue aqui meu depoimento:

Durante toda a gestação escutava de tudo sobre amamentação,que era importante,que era fundamental,mas também escutava coisas ruins, que o bico rachava,que doía,que era super incômodo. E infelizmente tudo isso só me deixou mais em dúvida do que eu já estava.
Porém a única certeza que eu tinha dentro de mim é que eu faria o esforço que fosse necessário para o bem-estar do meu filho!
E não foi diferente,Daniel nasceu e graças a Deus pegou direitinho o bico do peito para mamar,meus peitos ficaram imeeeensos e fartos de leite para meu príncipe. Sim,tiveram uns dias em que meu peito ficou tão cheio que o leite empedrou,eu tive febre,passei mal,mas logo depois eu já estava ali,pronta para mais uma mamada do Daniel.Ele mamou até 1 ano e 1 mês,mas porque eu estava em casa e tinha disponibilidade para isso,mas eu sempre quis que ele mamasse até 1 ano e me orgulho de ter conseguido. Embora quem consiga amamentar até o 6° mês também esteja de parabéns,me confortava saber que meu filho poderia além de se alimentar normalmente, desfrutar dos benefícios do leite materno.
Bem,é isso,estou aqui,junto com a Beca,apoiando uma causa tão nobre e MUITO IMPORTANTE para nossos bebês...a amamentação é um momento INCRÍVEL e muito importante para o desenvolvimento do seu bebê e para a saúde dele.
Não perca esse momento mamãe,amamente já!

Raquel Schuindt
*****************************************************************
TUDO QUE POSSO LEMBRAR SOBRE A AMAMENTAÇÃO DOS MEUS 3 FILHOS

Irei dar o meu depoimento sobre a amamentação. Mesmo isso já tenha acontecido há muito anos, creio que o sentimento e a experiência ou a falta dela, possa ajudar. Acredito que amamentar um filho sempre será o melhor para a mãe e principalmente para o bebê. Além de todos os benefícios para ele existe toda a praticidade. O neném está com fome é só tirar o seio e pronto, não precisa esquentar ou engrossar. Já está prontinho e na temperatura certa.

1- Pedro nasceu em março de 1983, de 8 meses, de parto natural. Ele era muito pequeno e magrinho e tinha um ritmo de mamar que era de mamadas longas. Ele mamava um pouquinho e dormia, mamava mais um pouquinho e dormia, sem tirar a boca do seio e ficava umas 2 hs. Isso durante o dia ou durante a noite. Por isso tive probleminhas no seio. Eu tive muito leite e início de empedramento e febre. Passava um bom tempo no banho quente (verão no Rio de Janeiro, ufa!!) e usava um pente de dentes grossos e "penteava" o meu seio em direção ao bico. Essa fase durou mais ou menos 2 meses. A partir daí ele ganhou peso e tamanho, as mamadas tornou-se em horários espaçados e num tempo normal. Mas sempre respeitando o horário dele.
Infelizmente, ele tinha prisão de ventre, dei a ele um pouco de chá e suco de laranja lima antes dos 6 meses, mas somente num período curto pois descobri que o problema era com a minha alimentação. Passei a comer melhor e com isso ele parou de sofrer e voltou a ficar somente no peito até os 6 meses, quando comecei a introduzir primeiro frutas, depois legumes amassados (nunca passado no liquidificador) e aos poucos introduzindo novos alimentos. Mamou até os 9 meses, quando eu quis engravidar.

2- Daniel nasceu em setembro de 1984, parto natural também e de 9 meses. Ele nasceu grande e rápido. E diferente do Pedro mamava forte e num curto tempo (mais ou menos 5 minutos em cada seio). Meu seio no início ficou ferido, mas colocava casca de mamão que aliviava um pouco. Minha obstetra sempre me dizia que durante a gravidez temos que esfregar bastante o bico do seio para criar o famoso "calo" mas nessa gravidez eu esqueci.
Amamentar Daniel foi um pouco complicado já que o ciúmes do Pedro me deixava arrasada. Tentava fazê-lo quando ele estava na escola ou dormindo mas é claro que isso não era possível sempre, e ele ficava chorando enquanto eu dava o mamar para Daniel. Mas como Daniel não demorava muito mamando, eu imediatamente depois ficava com o Pedro e assim esse momento difícil passou e consegui amamentá-lo até os 9 meses.
O processo de desmame do Daniel foi mais difícil. Ele não queria parar de mamar e eu já não queria mais amamentar. Com isso ele se agarrou a mamadeira de uma forma que ela era a sua chupeta. Sempre tinha a mamadeira na mão com suco, leite, água ou qualquer outra coisa.

3- André nasceu em outubro de 1991, também parto natural e de quase 9 meses. Mas o tamanho dele era compatível mas nasceu com icterícia e o tratamento era banho de sol. Mas ele começou a emagrecer pois o Rio de Janeiro só chovia e não tinha sol, piorando a icterícia. Mas mesmo assim ele continuou a perder peso pois não acordava para mamar já que a icterícia o deixava mole e com sono. A pediatra passou uma medicação (homeopática) e complementar o seio com leite Sobee. E recomendou o acordar para mamar, já que ficava as vezes 6 horas dormindo direto. Esse processo durou um mês, ele voltou a engordar e o leite de soja foi suspenso.
Teve muita prisão de ventre, as vezes ficava 8 dias sem evacuar. Começou a tomar suco de laranja com mamão aos 4 meses e com 5 meses não melhorando, passou a comer ameixa cozida e amassada, e assim o intestino dele voltou a funcionar melhor. Continuou a mamar no peito até quase 10 meses. 

Beijos
Fátima

*******************************************************************
Posso ajudar, sim!!! Eu tb tive problemas com a amamentação, né? Até pq o Heitor ficou uma semana, de uma certa forma, longe de mim... na UTi Neonatal ele davam o NAN pra ele quando eu não podia estar. Eu tive alta e lá no Panamericano as mamães não podem ficar acompanhando os seus bebês. Podem ficar o tempo que quiserem, mas não internadas junto, infelizmente... Quando ele foi pra casa, eu achava que ele sentia fome o tempo todo e que meu leite não era suficiente. Dava o NAn pelo menos 1x ao dia. Foi quando me consultei com minha prima que é pediatra. Ela me disse que muito provavelmente não era necessário dar o complemento, era só ter um pouco de paciência com ele e comigo mesma... o jeito de seguirar o bebê tb ajuda muito! Sempre encostando a barriguinha dele na nossa... Dei o complemento apenas por 1 semana, E nessa quantidade: 1x ao dia.

Meu bico tb era muito plano e só comecei a usar as conchas de correção de mamilos no último mês da gestação - tarde demais - mas antes tarde do que nunca, né? Continuei usando durante o primeiro mês de vida do Heitor, só depois parei. Ele tb aprendeu a mamar... rs. Agora já pega direitinho...
No começo machucou muito, mas consegui pegar o jeito e hoje, posso dizer que amamentar é a coisa mais prazerosa do mundo! Saber que o que nosso filho precisa, vem de nós não tem preço...

O Heitor desde a segunda semana de vida só mama no peito e tem engordado e crescido bem!
Bjsssssssss, Zaira

******************************************************************
E você? Tem algum relato para dividir também?
Bitocas!
Até os próximos relatos.

13 comentários:

  1. Quando for amamentar ja sei tudo. ahahaha

    ResponderExcluir
  2. Xandão se supera... kkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  3. Excelente iniciativa Beca! Obrigada!!

    Bjus

    ResponderExcluir
  4. Muito legal a sua iniciativa. Eu não tive experiências muito boas com a amamentação do meu Pedro.

    Até tentei colocar aqui meu relato, mas aconteceu tanta coisa que iria ficar massante.

    Mas aos muitos trancos e barrancos eu consegui amamentar até os 5 meses.

    Mas apesar de tudo eu sempre sonhei em amamentar muito meu filhote e se tiver outro eu vou tentar de novo.

    beijo grande

    ResponderExcluir
  5. Muito legal sua iniciativa, nada como ter relatos de experiências verdadeiras para nos ajudar a ver que muita coisa pode ajudar, mas é sempre diferente com cada mãe e bebê.
    bjs

    ResponderExcluir
  6. Ai que lindo Beca! Amei sua atitude!Qdo eu estiver conectada de verdade tb posso colaborar! bjao!!
    Mari, mae polvo;

    ResponderExcluir
  7. Adorei sua ideia, Beca! Ainda não sei quando iremos "encomendar" nosso baby, mas as dicas já estão sendo incorporadas... (by Dácio da Sociologia, se lembra?)
    Beijão!

    ResponderExcluir
  8. Parabéns pela iniciativa.
    Eu não tive experências boas com amamentação...meu filho mamou até 10 meses,mais sempre complementou com nan, ele chorava mto,mamava em 2 em 2 horas,só sussegava quando dava o nan. Eu não queria, mais não tive outro jeito. Nunca tive mto leite.

    Beijocas!

    ResponderExcluir
  9. Beca, passa lá no blog que em um post eu contei sobre o meu relato de amamentação. Se quiser, pode copiar ai no blog.
    Bjus
    Ah, o link é esse:
    http://retratoquefala.blogspot.com/2010/10/odisseia-da-amamentacao.html

    ResponderExcluir
  10. Beca, ótima iniciativa, li todos, mas por aqui a Duda já não mama mais... :(

    Bjão!

    ResponderExcluir
  11. Que idéia fantastica Beca! Valeu de mais os depoimentos! Quanto mais informação mais a amamentação deixa de ser um bicho de 7 cabeças! Obrigada! Bjos

    ResponderExcluir
  12. Linda iniciativa!! Vamos ao meu relato!!

    Sou a mãe do João Vitor há emocionantes 5 meses e o amamento desde o primeiro dia de sua vida.

    Quando a gte se prepara para ser mãe, ouve inúmeros comentários, dicas, mandingas, supertições sobre o que e como fazer antes e depois do bebê nascer; comigo não foi diferente. Mas os conselhos e dicas mais legais que eu recebi foram mesmo da pediatra do JV. Ela me incentivou a fazer massagens nos seios e a usar uma concha de amamentação mesmo antes do JV nascer, que eu fazia pelo menos duas vezes ao dia e usava full time.

    Graças a Deus eu e o JV fizemos uma ótima dupla e, tanto o meu leite veio de cara qto ele mamou direitinho desde o primeiro dia. E tudo seguiu lindo nos primeiros dias. Eu segui usando a concha e passava uma pomadinha chamada Lanidrat após cada mamada. Até que... meus mamilos começaram a rachar. E o JV, com sua fome imensa, mamava com mta vontade, o que não ajudava em nada na cicatrização. Resultado: cada vez que ele ia mamar era uma sessão de coramingos meu. Meu marido ficava ao meu lado o tempo todo me incentivando e, ao mesmo tempo, falando que se eu quisesse que parasse de amamentá-lo, que daríamos um jeito. Mas eu não desisti e, um dia, magicamente, parou de doer.

    Agora ele já está com dois dentinhos e as dores voltaram mas não na mesma intensidade assim, pretendemos seguir com o mamá até uns dois anos dele como complemento da alimentação sólida que já já começaremos a introduzir.

    Como todas já ouvimos, amamentação é doação. Uma doação de amor em seu estado mais puro e foi esse amor que me impediu de parar de amamentar meu filho mesmo com tantas dores.
    Também penso que é um momento de grande intimidade entre mãe, pai e filho, por isso perfiro, qd possível fazê-lo reservadamente longe dos palpiteiros de plantão.

    Bom mamá para todos!!
    Beijos
    Tatiana

    ResponderExcluir

Comenta vaaai, que eu gostchio!!!